Olha só!, é um blog olho no olho, quero dizer, palavra no ouvido, grito no espaço, segredo e colapso público. É pra conversar um pouco pois é conversando que a gente se entende. Um pouco. Em tempo: todas as fotografias são do mesmo autor dos textos.
Terça, 7 de dezembro de 2010
NAÚFRAGO

 

 

há uma saudade que me engole

feito um mar que viesse

de repente me tragar

e me obrigasse a beber tanta água

e eu deglutisse mil doses de sal.

é assim que engolfo a saudade

para ser afogado por ela.

 

há uma saudade

que preciso dela

que me vomite, me escarre, me mije, me cague, me sue, me assoe,

me livre de sua densidade de mar,

me faça ir para o além

como a água das salinas,

feito a água das salivas

que não beijam mais.
 

marco/31.05.2010.

Quinta, 25 de novembro de 2010
EU AINDA TE AMO

 

 

É só uma verdade. É só uma vontade sem pedido de revolta ou irrazoável amizade, é só uma resolução lógica e puramente sentimental, um soluço de um algoz no momento em que tange a lâmina na nuca do seu próprio amor.
É só uma vontade. Não que seja uma voragem nem resquícios de recuperar animosidades, é só um desvario pessoal e único, uma confissão sem razão e sem pudícia.
É só uma verdade que me escandaliza os olhos, os dedos, a pele, os pelos, e tudo mais que te pegou e o que de mim você desfrutou, é só uma verdade que não esconde seus prazeres e virtudes, sabores e odores e outras tantas coisas amiúde.
É só uma verdade que grita, às vezes rouca e sombria, às vezes louca e descabida, embora eu saiba que não há mais remédio, mesmo eu sabendo que você está morta, e que não vai ressuscitar nesses próximos séculos.
 

marco/25.11.2010.

Quarta, 24 de novembro de 2010
TOTAL IDADE

 

 

Total é o amor fazendo toda a sua vontade: os sentidos sabendo, as línguas lambendo, os olhos revirando e retornando às órbitas, as mãos desmedidas, os poros abertos sugando e exalando fluidos, todos os ásperos e lisos, orifícios, sólidos e dissolvidos, toda a vida seguindo a vontade do amor pleno em sua estadia em nós.

Local este amor praticado somente entre nós. Privado? Não. Inteiro porque único em cada vez que se faça e refaça essa sanha de agrado e sexo e carinho e conforto e felicidade primária e universal, coisa de bicho e de homem e mulher, macho e fêmea, coisa de quem sente e vive para ser feliz.

Não há mais medida certa, idade errada: se somos dois e tudo é ótimo e permitido e delicioso, com farofa ou chantili, com ungüento ou alfazema, pimenta ou água benta. Encontramos o endereço e é neste domicílio que acontecem todos os delírios e comícios e inícios inconseqüentes e derradeiras certezas, é nessa sede que se firma a conjunção, a congregação, a união de ilusão e sentença, em nossos corpos se reúne a morte certa e a saúde plena.

Para nós já não há mais tempo óbvio, passado renegado ou futuro exasperado. Tudo é uma expressão de oportunidade, que haverá de acontecer muitas vezes, umas com nossa presença, outras com nossas condolências, oportunas unidades para nós, em qualquer idade.

Total é o amor que está, fica e vive à vontade.

 

marco/24.11.2010.

Páginas
1 2 3 4 Próxima >  Última >>