Olha só!, é um blog olho no olho, quero dizer, palavra no ouvido, grito no espaço, segredo e colapso público. É pra conversar um pouco pois é conversando que a gente se entende. Um pouco. Em tempo: todas as fotografias são do mesmo autor dos textos.
Sexta, 20 de março de 2009
ESSA COISA QUE CHAMAMOS DE AMOR

Você me olha: insiste em que eu fale de amor.
Te olho: prefiro dizer do amor.
Você quer que eu diga do nosso,
Eu insisto em falar de todos, os nossos inclusos.
É isso: se vocês todos pensam que tem um só amor, estão inteiramente equivocados.
Há mais amores do que sonham as nossas vãs ideologias.
E não se trata de traição ou descaso; mais do que essas bobagens cotidianas, quero mesmo é falar daquele amor que não descansa, sempre lívido e célere, carnal e místico.
Aquele amor que não desanda e, quando pára é para tomar fôlego. E quando segue é que necessita pódio. E quando ríspido quer temperança. E quando encarna o cão quer ser um anjo.
É isso! Quero somente falar do que sinto, afora do cinto de segurança do minto ou pressinto.
Mas não é totalmente bem isso: acho que o texto ia bem mas de repente pintou algum ranço no instinto. Não que eu não te ame, longe disso. Não, não precisamos de logoritmos desde o princípio; claro que não nem mais queremos diferenciar as folhas de parreira de eva e adão, ainda mais nesse final de verão, né?
Olha de novo: mas você insiste em falar de amor, né?
Olho de volta: então não se aclame ou sossegue, mon coeur, meu amor, meu bem, ma femme.
É com essa coisa, aquela, da qual a gente foge e persegue, com que você quer você brincar?
Aquele troço que nos alça como bailarinos, acima do olimpo. E depois nos faz resto do mais rés-do-chão do botequim mais pé sujo, do cais mais imundo, da mais fétida noção de futuro que possamos vislumbrar. E no entanto no dia seguinte ao torturo a alma e o corpo desgramados se ressuscitam feito afrodites e lázaros.
É com isso que você quer jogar? Então te digo: a máfia do amor é mais possante e poderosa do que a norteamericana ou siciliana. E geralmente, como no congresso nacional brasileiro, tudo acaba em pítiça.
Mas sendo assim, vá lá. Ou venha cá. Ou nem se mova, mãos ao alto que este mero escrevinhador vai falar:
Eu amo gentes de olhos claros e escuros; pessoas de ancas vastas e esguias; criaturas de todas as cores e estaturas.
Eu amo animais de crias e àqueles perdidos nas ruas; florestas fartas de águas e desertos plenos de secura.
Sou um vagalume, flanando entre o negrume e o radiante;
sou o giz feito carvão, sou na pérola negra o diamante;
e toda vez um risco, arriscando em esplendor ou escuridão.
Eu sou raro e comum como um animal em extinção
Eu sou efeito e fato feito o mineral e a radiação.
Eu amo o mundo como ele é
E a vida que prossiga
Além de mim e de você,
Nós que sabemos o que já fizemos
E que ninguém não mais nos diga ou siga.
Não vou discutir se riso é marfim
ou se choro é ébano.
Não estou afim.
Não estou nem aqui
há séculos.

marco/19.03.2009.

sábado, 14 de março de 2009
DEDICAÇÃO

Sabe,
uma coisa que eu queria dar um jeito de não poder parar de te falar é que eu te amo e que eu te amo e é que eu te amo e é que cansa demais isso assim e eu também até fico de saco cheio de ficar repetindo, mesmo assim na cópia do programa word windows.
Achou que é a pura verdade ou só jogada de marketing?
Posso dizer que teu olho é a coisa mais linda do mundo enquanto me olha e me vê em mim mas que é a coisa mais escrota do universo quando não nem se toca que eu te espero.
E eu te espero sempre. E eu sempre excreto algum filamento que devia deixar você ver o quanto eu te quero.
E aí? E, se na verdade, não seja melhor ficar só na memória, deixar na história uns contos de fadas e fodas simplórias e mais alguns ocasionais acontecimentos?
E aqui? E, se na mentira, não será melhor somente um dormente amor que feito um verme já se instalou dentro de nós e intestinamente nos comanda desde o café da manhã até o almoço e janta?
Existe isso, pode acreditar.
Sabe,
E se acontecer algo disso de assim do mesmo dito, assim desse previsto, algo assim conosco?
Então o que a gente faz alem de se olhar nos olhos, além do carinho, além do tesão, além do companheirismo, além de toda fé e da boa fé, da compreensão; e da dedicação, além do além do que a gente pode pensar que deu ou está cedendo ou conservando seu o que é do outro?
O que é que a gente faz com o que não é da gente e não é também do outro?
Com aquilo que é nosso?
Aquilo que alimentamos mas que na verdade não é nosso filho, sonho, sangue, desejo, promessa, pulso?
O que é que a gente faz com isso tudo, grande e imenso, mas que porém nos é avulso?
Eu me calo. Te pergunto.

marco/14.03.2009.

Quinta,12 de março de 2009
DIA OITO DE MARÇO

Você disse que eu deixei passar em branco o Dia Internacional da Mulher. Veja bem: não deixei passar nada: nem em branca, negra, amarela, vermelha, ou quaisquer mil escalas de cinza ou de fogo. Você, eu sei, me disse só para me provocar. Então tá! Vai aqui mais texto só pra te vangloriar:
Olha bem: o que eu posso falar de mulher, de mulheres?
Que as amo, respeito, desde ter muito peito às suas legítimas atitudes.
O que eu posso querer invejar mais da mulher além de eu ser um limitado homem?
Não posso gerar, parir, gozar dessa coisa única.
Não queria ser mulher, não, não é esse o caso. Mas como as invejo.
E como as perdôo, e como as idolatro e esculacho, sempre que preciso for.
E como as aturo, desde jovem e hoje maduro,
como as desejo e espero que sejam tão e mais superpoderosas.
E como as faturo em minha mente, não somente como índices de contas de crédito ou débito mas
como as quero levar à fartura de prazeres sem remédios!
Agora falando sério, como se antes não sério seria: Mulher é o máximo do bicho homem, ou melhor, o últimíssimo extrato do ser bicho humano – já disse outro dia: mesquinho e miserável – e é assim que foi e é e será a mulher: embora do mesmo gênero; tem outro grau, noção, sensibilidade, acuidade e até adivinhação.
Porque homem nunca é mãe ou irmã ou tia ou sogra, cunhada, nora, namorada, noiva, mulher.
Se é que me entendem.
Ser homem é só ser uma pesada pedra precisando colo.
De quem?


marco/11.03.2009
Páginas
<< Início  < Anterior 188 189 190 191 192 Próxima >  Última >>